Receba as novidades do setor

Seu nome

Seu e-mail

Socicana cria padrões aprovados pela Bonsucro para selo de sustentabilidade de MPB

Associado Socicana é o primeiro produtor do mundo a validar produção de MPB com critérios de sustentabilidade

O condomínio Renato Trevizoli e outros começou o ano de 2019 com a chancela da certificação Bonsucro EU (União Europeia), uma iniciativa global que valida a produção de cana-de-açúcar de acordo com critérios sustentáveis.

A conquista deve-se a um trabalho realizado com produtores associados da Socicana, a partir de diagnósticos, treinamentos e estratégias para a melhoria contínua das práticas agrícolas e demais processos na propriedade.

Os esforços da Associação e produtores levaram à produção de cana de acordo com indicadores internacionais, o que resultou, em 2015, na obtenção da certificação Bonsucro por três condomínios agrícolas – de Roberto Cestari, Murilo Morelli e Paulo Rodrigues -, que tiveram sua gestão validada nos aspectos ambiental, social, econômico e técnico.

Desde então, o trabalho tornou-se referência no setor sucroenergético, com a renovação anual da certificação e, em 2018, nova validação dos condomínios, somando uma área de 8.800 hectares e uma produção de 665 mil toneladas de cana-de-açúcar.

Para ser certificado, há um elevado o nível de exigência, com o atendimento a 11 princípios, 26 critérios e 79 indicadores. Prova da diferenciação do trabalho da Socicana é o alcance de 97% na pontuação, maior índice da certificação Bonsucro em todo o Brasil, o que supera até mesmo as usinas que normalmente ficam entre 80% e 85%.

A mais recente conquista em relação à certificação Bonsucro é um exemplo de excelência na aplicação de novas tecnologias e valida o condomínio Renato Trevizoli e outros como primeiro do mundo na produção de MPB (Mudas Pré-Brotadas) com selo de qualidade internacional.

Trevizoli irá comercializar as Mudas Pré-Brotadas para todo o País, tendo como clientes diretos outros produtores e unidades industriais. “Nós acreditamos que esta certificação, num futuro muito próximo, trará valorização na comercialização da nossa cana e da nossa MPB. Acreditamos que as empresas que tiverem esta certificação terão uma facilidade maior de negociação com qualquer grupo que tenha seus produtos numa linha de exportação. Acreditamos, ainda, que futuramente quem não tiver algum tipo de certificação terá alguma restrição quanto às linhas de crédito: renovação de frota, planos de custeio, etc. A certificação nos ajusta às demandas de sustentabilidade e traz benefícios econômicos”, conclui.