Receba as novidades do setor

Seu nome

Seu e-mail

Grupo internacional se surpreende com a sustentabilidade de produtores da Socicana

World Wildlife Fund (WWF) e Bioplastic Feedstock Alliance (BFA) visitam propriedades e reformulam conceitos sobre o agro regional

A Socicana, Associação dos Fornecedores de Cana de Guariba, recebeu no dia 27 de setembro, a visita da World Wildlife Fund, representada pelo WWF United States (WWF-US) e WWF-Brasil, e um grupo da Bioplastic Feedstock Alliance (BFA), com representantes da Procter&Gamble (P&G), The Lego Group e Unilever. Estava presente também a Gerente de Certificação da Roundtable on Sustainable Biomaterials (RSB), organização internacional que elabora padrões de sustentabilidade para biomassa e biocombustíveis, Áurea Nardelli.

O grupo veio à região conhecer mais sobre os temas ligados à produção de cana-de-açúcar e o contexto socioambiental brasileiro, como a proteção de habitats naturais, questões sociais, implementação do código florestal e aspectos relacionados à sustentabilidade da produção.

O resultado da visita se resume a uma palavra: surpresa. Os visitantes declararam terem superado as expectativas após a visita à sede da Socicana, em Guariba (SP), onde foram recebidos pelo presidente Bruno Rangel Geraldo Martins e pelo superintendente Rafael Bordonal Kalaki. O grupo ficou surpreso também com a qualidade dos processos de três propriedades, de diferentes portes, de produtores associados à Socicana.

“Eu não imaginava que a preocupação com a sustentabilidade na produção agrícola brasileira fosse tão grande. A experiência que tivemos foi muito boa e superou minha expectativa. Os investimentos em sustentabilidade são maiores do que imaginávamos. Observei, no entanto, que os produtores precisam de incentivo para continuar investindo nesta área. Foi uma visita muito produtiva”, avaliou a gerente da The Lego Group, Maria Peterson.

Annie Weisbrod, cientista de sustentabilidade da P&G declarou que a visita foi muito produtiva. Ela fez inúmeros questionamentos em todas as propriedades visitadas e disse que saiu satisfeita com o que viu. “Estou impressionada. Realmente o trabalho destes produtores me surpreendeu”, disse. Erin Simon, diretora de Pesquisa em Sustentabilidade da WWF, salientou não só o trabalho dos produtores, mas também a hospitalidade e boa vontade em explicar os detalhes dos processos que foram implementados e levaram à certificação. “Gostei muito da visita. Foi interessante e nos trouxe muito conhecimento”, resumiu Erin.

Laís Cunha, da WWF Brasil, se comoveu com os relatos. A engenheira florestal não esperava ter a experiência que teve, com produtores preocupados não só com a subsistência econômica de suas propriedades, mas com a perpetuidade de suas terras. “Estou mesmo emocionada”, disse, após ouvir os projetos da produtora Paula Bellodi Santana, que, debaixo de um pé de macadâmia, contou para o grupo seus objetivos, que incluem um reflorestamento com um espaço destinado a um bem tão precioso: a água.

Celso Albano, gestor Executivo da Orplana – Organização de Plantadores de Cana da Região Centro-Sul do Brasil, que acompanhou toda a visita, lembrou que o conceito de sustentabilidade é levado a sério pelos produtores regionais. “A vida da fazenda é mais longa do que a vida do fazendeiro”, pontuou em uma frase que vai ao encontro do que os produtores estão buscando, com atuação para garantir a longevidade do patrimônio de várias gerações.

Bruno Rangel, presidente da Socicana e tesoureiro da Orplana, reiterou que a Organização e a Associação não medem esforços para viabilizar certificações aos seus associados. “Foi um prazer poder mostrar ao grupo um trabalho que estamos desenvolvendo há bastante tempo e que tem obtido resultados satisfatórios. Nossos produtores se preocupam não só com a produção de qualidade, mas também com o atendimento à legislação e critérios de responsabilidade socioambiental. Daí, a importância do reconhecimento internacional”, comentou Bruno.

Áurea Nardelli, da RSB, afirmou que a visita foi uma ótima oportunidade para dar visibilidade aos produtores e desmistificar a produção de cana-de-açúcar, mostrando que os produtores estão engajados com a produção sustentável. “A Socicana passou bem este recado”, pontuou Áurea.

Conhecimento na prática

A visita do grupo estrangeiro começou na Socicana, com a apresentação feita pelo superintendente Rafael Bordonal Kalaki sobre o trabalho da Associação, destacando o projeto TOP Cana e o processo de certificação da RSB e Bonsucro. Em seguida, os representantes da WWF e da BFA foram para Taquaritinga (SP) conhecer a propriedade de José Luís Bracciali, que contou um pouco da história de sua família e mostrou as lavouras de goiaba e limão, além da cana-de-açúcar. Bracciali, que tem também o acompanhamento do programa TOP Cana (desenvolvido pela Socicana), mostrou as adequações de sua propriedade para atender à legislação e às exigências para a conquista da certificação RSB, entre as quais refeitório e local correto para armazenamento de embalagens de defensivos agrícolas.

A segunda fazenda visitada foi a de Paula Bellodi Santana. Paula também contou a história de sua família e mostrou a produção de macadâmia, bem como discorreu sobre as mudanças que implementou  a partir das orientações do programa TOP Cana. Os projetos de sustentabilidade em sua propriedade, no entanto, continuaram evoluindo, uma vez que o objetivo da produtora é aumentar a disponibilidade de água.

A visita foi encerrada na propriedade de Paulo Rodrigues. Uma apresentação detalhada sobre as atividades do condomínio foi feita por Paulo, que mostrou as ações sustentáveis que o levaram à conquista da certificação Bonsucro. Os visitantes também conheceram as Mudas Pré-Brotadas (MPB) e entenderam porque o programa TOP Cana é inovador e revolucionário, ajudando os produtores na obtenção de certificação, além da adequação das propriedades e processos para a produção sustentável.

 

Mais sobre ações sustentáveis

Quem planta, colhe: a frase serve não só para a lavoura, mas para os esforços que têm sido feitos pela Socicana para estimular entre os associados os conceitos da sustentabilidade. A Associação dos Fornecedores de Cana de Guariba, localizada na região Noroeste do estado de São Paulo, agora colhe os frutos pela implantação de projetos relevantes nesta área. O resultado foi o reconhecimento nos mercados interno e externo: 31 produtores associados à Socicana conquistaram certificações de duas chancelas internacionais.

RSB – Roundtable on Sustainable Biomaterials

A RSB é uma organização internacional, independente, formada por diversas partes interessadas, que atua no desenvolvimento de uma nova bioeconomia. Ela oferece ferramentas e soluções para que produtores e indústrias possam contribuir para o alcance dos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável. O padrão de certificação da RSB é considerado como um dos padrões de maior credibilidade mundial, podendo ser aplicado para qualquer tipo de biomassa, incluindo a cana-de-açúcar. O sistema voluntário de certificação da RSB possui reconhecimento da Diretiva Europeia (EU RED) para biocombustíveis renováveis. Em adição ao padrão RSB que certifica produtores e indústrias de qualquer porte, a RSB desenvolveu um conjunto de normas específicas para permitir a inclusão de grupos de pequenos produtores na certificação. Tais normas foram utilizadas em um projeto piloto desenvolvido em parceria com a Socicana e com apoio do programa Boeing Corporate Citizenship.  O projeto contou com a participação de um grupo de 17 produtores, que alcançou a certificação em 2016.  Os produtores e a Socicana encontram nos padrões da RSB uma estrutura abrangente para alcançar seus objetivos de sustentabilidade e as demandas de mercado, como também para implementar melhorias em sua gestão e práticas agrícolas.

BONSUCRO

A certificação Bonsucro é um desdobramento da iniciativa Better Sugarcane Initiative, um grupo prévio composto por partes interessadas do setor, preocupados com os impactos ambientais e sociais da produção de cana-de-açúcar. Durante uma auditoria Bonsucro, são avaliados os principais indicadores de produção, inclusive consumo de energia, água e emissão de gases de efeito estufa. A conformidade regulatória, direitos trabalhistas, suprimento local e contínuo de água e outros fatores humanos que afetam o impacto da produção sobre a população local também são aferidos. Até esta iniciativa pioneira, não havia protocolo específico para produtores de cana, e certificava somente a usina. Portanto, o trabalho dos produtores brasileiros e o reconhecimento dos produtores da Socicana abrem um novo cenário de oportunidades no mundo. Prova da relevância desta conquista, hoje a Socicana é referência em sustentabilidade neste setor. Ter o processo produtivo avaliado pela Bonsucro também significa respeitar a legislação da União Europeia (UE) sobre biocombustíveis importados no âmbito da Diretiva sobre Energia Renovável, abrindo possibilidades de mercado para exportadores de etanol proveniente da cana-de-açúcar.

Sobre o programa TOP Cana

O TOP Cana, programa desenvolvido pela Socicana, tem por objetivo contribuir com o  associado, visando à produção sustentável. É realizado a partir da assistência técnica de qualidade,  orientações para as boas práticas agrícolas e adequação de processos. Apesar de visar à produção, o programa ultrapassa este conceito, pois traz como resultados: a melhoria na gestão operacional, com ferramentas para aperfeiçoar o manejo das culturas; melhoria na gestão técnica, com ferramentas tecnológicas à disposição do produtor; e melhoria na gestão geral do negócio, com ferramentas para aperfeiçoar a tomada de decisão. O produtor conta com consultoria técnica gratuita, realização de diagnóstico, plano de ação corretivo e serviços gratuitos em todas as etapas das culturas. O TOP Cana não só atua na implementação de novas iniciativas, mas também identifica práticas que já estão de acordo com conceitos de sustentabilidade para sua padronização e documentação.

Sobre a Socicana

A Associação dos Fornecedores de Cana de Guariba foi fundada em 1951. Representa 1.389 produtores e um total anual aproximado de 6,5 milhões de toneladas de cana-de-açúcar. Atualmente, possui três projetos dedicados à sustentabilidade: Certificação da Bonsucro, Certificação RSB e TOP Cana – programa criado pela Socicana e Fundação Solidaridad, com a parceria da Usina Santa Adélia e do grupo Raízen. Em seu escopo de atuação, a Socicana dedica-se à representatividade da classe produtora em relação à sociedade, governos e mercado. Oferece assistência técnica e serviços de qualidade para todas as etapas do processo produtivo, avaliação da qualidade da matéria-prima e trabalha em parceria com centros de pesquisa para o uso de novas tecnologias.

Sobre a WWF

O World Widelife Fund é uma Organização Não Governamental (ONG) internacional que atua nas áreas da conservação, investigação e recuperação ambiental. Foi fundada em 1961, na Suíça, por um grupo de cientistas preocupados com a devastação da natureza. A partir da sede na Suíça, a entidade se tornou uma rede mundial de defesa do meio ambiente, com representações nos principais países do mundo. A rede é apoiada por pessoas de origens diferentes, preocupadas com o mesmo objetivo: garantir a preservação do planeta em que vivemos. É a maior organização independente do seu gênero no mundo, com mais de cinco milhões de associados, que trabalham em mais de 90 países. A WWF também está no Brasil, com sede em Brasília (DF) e escritórios em Manaus (AM), São Paulo (SP) e Campo Grande (MS). Além de ações de conservação ambiental nas esferas locais, regionais e nacional, com forte atuação na política ambiental, edita livros, revistas e cartilhas que ensinam a preservar o meio ambiente.

Sobre a Bioplastic Feedstock Alliance

A Bioplastic Feedstock Alliance (BFA) foi formada por algumas das principais empresas de marcas de consumo do mundo como um fórum pré-competitivo e multilateral focado em aumentar a conscientização sobre o desempenho ambiental e social de fontes potenciais de matérias-primas para plásticos de base biológica. Os membros do BFA são: The Coca-Cola Company, Danone, Ford Motor Company, Nestlé, P&G, Unilever, The Lego Group, McDonald’s Corporation e Target Corporation. Essas empresas globais, juntamente com conceituados líderes acadêmicos e de ONGs, estão comprometidas com o uso de ciência e pensamento crítico para ajudar a orientar a seleção responsável de matérias-primas para plásticos de base biológica, a fim de incentivar um fluxo de materiais mais sustentável, ajudando a criar valor duradouro para as gerações presentes e futuras. A World Wildlife Fund (WWF) apoia a gestão responsável dos recursos naturais, atendendo às demandas de uma população crescente. Como parte desse compromisso, a WWF ajudou a convocar a BFA para possibilitar o progresso na realização de seus importantes objetivos.

Fonte: RSB, Bonsucro, WWF, BFA.

 

Assessoria de Comunicação Socicana
Renata Massafera – Textos e fotos