Receba as novidades do setor

Seu nome

Seu e-mail

Socicana conclui mais um importante ciclo

Bruno Rangel encerra período de seis anos como presidente. Nova diretoria deve garantir continuidade de projetos

A Assembleia Geral Ordinária, AGO, da Socicana, realizada no dia 10 de setembro, marcou a conclusão de um período de grandes conquistas e também  desafios para a classe produtora. Bruno Rangel Geraldo Martins foi o presidente da Associação por seis anos (2014 a 2020) e agora assume como diretor-secretário. A AGO aprovou todas as demonstrações financeiras da entidade e conduziu, à presidência, Francisco Antonio de Laurentiis Filho.

No encerramento de seu mandato, Bruno resumiu o período. “Estes seis anos foram bastante difíceis para a cana-de-açúcar, com problemas de  produtividade, custos de produção e preço da matéria-prima. Foram desafiadores para toda a gestão”, afirmou. Ele também destacou o valor dos relacionamentos. “As parcerias com a Coplana, Sicoob Coopecredi, Sindicato Rural de Jaboticabal, Sindicato Rural de Guariba, Orplana, Abag/RP e Ibisa foram de fundamental importância para levar os pleitos às esferas superiores dos governos estadual e federal. Com organismos não-governamentais, como Bonsucro, RSB e Fundação Solidaridad, desenvolvemos protocolos sustentáveis para gerar valor ao produtor. Para isso, tivemos o suporte dos colaboradores, sempre à disposição para ajudar os associados.”

Ele concluiu falando de sua experiência e fazendo um agradecimento especial ao produtor. “É um privilégio, nesta idade (39 anos) ter participado de tantos acontecimentos importantes, em tantas instâncias do setor. Fico muito feliz. A nova gestão pode contar com meu apoio e com a experiência que adquiri. Desejo grande sucesso nos trabalhos daqui em diante. E ao associado, meu agradecimento especial pela confiança. A Socicana existe em função do produtor”, encerrou Bruno Rangel.

Francisco Antonio de Laurentiis Filho, que assumiu como presidente da Socicana, comenta que o período que se inicia tem propostas alinhadas com o novo tempo em que vivemos. “Eu destaco a importância de manter o associado muito bem inserido em todas as movimentações do setor, que tem passado por mudanças muito rápidas e muito intensas. A Socicana tem este papel de estar sempre à frente, levando, ao associado, o que representa o setor da atualidade e do futuro. Um exemplo são as certificações, que começam a trazer uma competititvidade diferenciada ao produtor. Nosso associado deve ter estas mudanças incorporadas no seu dia a dia. Dessa forma, dar continuidade ao que vinha sendo feito e criar oportunidades são fatores fundamentais”, afirmou Laurentiis.

Desafios e conquistas dos últimos anos

• Na atuação mais recente da Socicana, destaque para a recuperação de crédito de R$ 2,9 milhões, do Salário-Educação, um tributo de 2,5% calculado sobre a folha de pagamento do produtor. A conquista foi possível por meio de ação judicial.

• Outro benefício ao associado, foi o pagamento, pela Socicana, dos royalties CTC (2013/2014 a 2020/2021). O objetivo foi permitir o uso das variedades sem custos adicionais neste período, contribuindo para que o produtor pudesse fazer seu planejamento.

• Como conquista na área de capacitação, em 2020, a Socicana criou a Faculdade da Cana, trazendo conhecimento qualificado ao quadro social, com temas selecionados: do manejo a mercado, passando pela sustentabilidade e gestão da propriedade.

• Na área das boas práticas agrícolas, a Socicana criou, com o apoio da Fundação Solidaridad, o programa Top Cana, um programa de melhoria contínua e promoção da sustentabilidade.

• Houve a conquista das certificações internacionais Bonsucro e RSB (Roundtable on Sustainable Biomaterials), atestando a produção sustentável. Ainda em relação à sustentabilidade, a Socicana recebeu diversos prêmios de destaque. Também obteve a certificação Bonsucro para MPBs (Mudas Pré-Brotadas), primeira associação no mundo a receber tal distinção.

• A representatividade também esteve em primeiro plano. Para a Segurança Rural, diversas articulações para a melhoria de políticas públicas; diálogos com a Secretaria de Segurança Pública do Estado, Polícia Militar da região e Assembleia Legislativa de São Paulo; convênios com empresas especializadas e orientações na busca por enfrentar o problema.

• No Comitê da Bacia Hidrográfica do Mogi Guaçu, passou a fazer parte como titular no segmento Sociedade Civil, uma importante conquista para a representação do produtor.

• Na região, foi fundamental também a parceria com as usinas e a Associação Brasileira do Agronegócio da Região de Ribeirão Preto, Abag/RP, visando à  prevenção dos incêndios. A Socicana esclareceu, para a imprensa e sociedade, o trabalho do produtor na prevenção e os prejuízos que a classe enfrentou, devido, muitas vezes, a incêndios criminosos.

• Em seus esforços de representatividade do produtor,   a Socicana participou da Diretoria da Orplana, esteve no Consecana e participa como membro do Conselho da Bonsucro, do Conselho da Abag-RP e em diversos fóruns de discussão e decisão do setor.

• A participação na diretoria da Socicana, na Orplana, contribuiu para importantes avanços, como a atualização do Consecana. Com a mudança, o prêmio pela qualidade da matéria-prima, conferindo pagamento adicional ao produtor quando a qualidade de sua cana-de-açúcar é superior à da cana processada pela usina, dispositivo criado para valorizar a pureza de caldo.

• Sobre o RenovaBio, houve uma força de ação coletiva no sentido de inserir as informações primárias do produtor no sistema de cálculo. A Socicana e a Usina São Martinho foram as primeiras organizações a utilizarem estas informações para a certificação.

• Junto à Orplana, a Socicana passou a negociar a propriedade dos CBIOs (Créditos de Descarbonização) no Consecana.

• Também recebeu a visita da World Wildlife Fund, representada pelo WWF United States (WWF-US) e WWF-Brasil, e um grupo da Bioplastic Feedstock Alliance (BFA), com integrantes da Procter&Gamble (P&G), The Lego Group e Unilever, além da RSB. O grupo veio à região conhecer a produção sustentável de cana-de-açúcar.

• Entre outras ações, a garantia de serviços de qualidade no Laboratório, que manteve sua aprovação no Certificado de Anotação de Responsabilidade Técnica (ART) do Conselho Regional de Química.

• A área técnica manteve os serviços de qualidade, como Qualiplant, Avaliação de Perdas na Colheita, Planilha de Custos de Produção, Aplique Certo, parceria com Centros de Pesquisa e MIP Cana. A Associação também promoveu suporte em questões jurídicas, para a regularização da propriedade, e relacionadas à assistência social, com os planos de saúde e odontológicos, visando ao benefício do produtor.

• Promoveu capacitação, com cursos e palestras sobre gestão da propriedade, boas práticas agrícolas, colheita mecanizada, legislação trabalhista, primeiros socorros, previsões meteorológicas e mercado.