Receba as novidades do setor

Seu nome

Seu e-mail

Lançamento do + Cana

Contou com presença do secretário de Agricultura do Estado e reuniu 300 produtores, técnicos e pesquisadores

soci0056-1

O programa +Cana – Mais produtividade no Canavial, foi lançado na última sexta-feira, dia 13, na cidade de Guariba-SP, numa parceria entre Coplana (Cooperativa Agroindustrial), Socicana (Associação dos Fornecedores de Cana) e IAC (Instituto Agronômico – Centro de Cana de Ribeirão Preto).

Devido à crise do setor e à baixa produtividade dos canaviais, os produtores sofreram uma queda acentuada na remuneração e muitos com riscos de deixar a atividade.

Dessa forma, a Cooperativa e a Associação foram buscar, junto ao Centro de Pesquisa, uma solução que trouxesse sustentabilidade para a produção. O sistema de Mudas Pré-Brotadas – MPB, é um jeito de plantar que rompe um paradigma centenário. O modelo de plantio atual é o mesmo desde que a cana foi introduzida no país.

Com as MPBs, o produtor tem a garantia de estar plantando uma muda sadia, com maior produtividade. Além disso, pode produzir a própria muda e até mesmo passar a produzir comercialmente.

A iniciativa conseguiu unir a pesquisa com a ponta da cadeia produtiva. “Temos institutos de pesquisa formidáveis, mas muitas vezes temos dificuldade de fazer esta informação chegar ao produtor. Aqui, temos um exemplo de como diminuir a distância e fazer com que isso tenha um uso adequado para cada um dos nossos produtores”, afirmou o secretário de Agricultura do Estado de São Paulo, Arnaldo Jardim.

O interessante nesta fase é que o conhecimento gerado pelos produtores iniciais poderá ser multiplicado para todo o país, mudando o sistema de plantio em outras regiões. Os produtores irão adquirir os kits do IAC, com variedades e equipamentos para o seu cultivo. A Coplana e a Socicana irão oferecer toda a assistência técnica e monitoramento permanente.

“Com o aumento da produtividade, o agricultor terá um custo menor por tonelada produzida. Aí, nós temos o aumento da competitividade e a sobrevivência do produtor de cana dentro de sua propriedade”, afirma José Antonio de Souza Rossato Junior, presidente da Coplana.

Na avaliação do presidente da Socicana, a mudança deve ser imediata. “Esse é um programa de difusão tecnológica e pretende fazer com que maior resultado chegue às mãos do produtor. Se não forem feitos investimentos em tecnologia e gestão da propriedade, provavelmente esses produtores vão sair do seu negócio”, afirma Bruno Rangel Geraldo Martins.

Atualmente, a produtividade média do canavial é de 70 a 80 toneladas por hectare, índice considerado insuficiente para dar conta dos custos de produção. “Para sair dos patamares atuais de produtividade e dar saltos quantitativos significativos, temos de ser rápidos na adoção de novas tecnologias. Caminhar em direção aos três dígitos de produção, acima de 100 toneladas em cinco cortes”, concluiu Marcos Landell, diretor do Centro de Cana do IAC, sediado em Ribeirão Preto.

soci0041-5