Receba as novidades do setor

Seu nome

Seu e-mail

Florescimento e fisiologia da cana-de-açúcar

A cultura da cana-de-açúcar tem duas fases fisiológicas distintas.  Em uma delas ocorre um intenso desenvolvimento vegetativo, e o canavial ganha massa verde, estimulado por temperaturas altas e ocorrência de chuvas. Esta fase, chamada de vegetativa, ocorre com maior intensidade de outubro a março. A outra fase é de acúmulo de sacarose, que vem logo em seguida, quando a temperatura tende a ficar mais amena, e a quantidade de chuva tende a se reduzir. Esta transição da fase vegetativa para a de acúmulo de sacarose, ocorre em meados de fevereiro e pode se estender até a colheita do canavial.

Ao longo dos anos, porém, observamos aumento ou redução dos teores de sacarose, em consequência das variações climáticas interagindo com a cana-de-açúcar. Nos anos em que ocorre o florescimento e ou chochamento (isoporização), o teor de sacarose e o peso da cana-de-açúcar são menores. O florescimento prejudica o acúmulo de sacarose, pois provoca um gasto de energia adicional para a inflorescência (pendão), o que leva à diminuição do ATR.

Fatores que induzem o florescimento.

O período de 25 de fevereiro a 20 de março é a referência para fazer uma estimativa sobre as chances de florescimento, pois é quando temos a transição do verão para o outono e quando a faixa de insolação é de 12 horas a 12,5 horas. Neste período de 25 dias, portanto,  o clima age como indutor do florescimento do canavial. A presença e a intensidade do florescimento dependem basicamente de dois fatores: o fato de a temperatura do ar manter-se alta, entre 18 ºC  e  31 ºC, e a precipitação ficar abaixo da média.

Como reduzir o efeito do florescimento e obter um ATR melhor?

Algumas variedades são mais propensas ao florescimento, das quais podemos destacar: RB 85 5156, RB 85 5453, RB 96 6928, CTC 9, CTC 22. Nestes casos, por se tratar de variedades precoces, o manejo indicado é promover a colheita no início da safra.

Diante disso, o agricultor pode promover algumas medidas:

– Colher inicialmente as variedades precoces e mais propensas ao florescimento.

– Utilizar inibidores de florescimento ou maturadores para antecipar o período de colheita. A decisão é bastante técnica e deve ser compartilhada com os técnicos da Socicana e/ou Coplana.

E quais as chances de florescimento para esta safra?

O Engenheiro Agrônomo e Técnico da Socicana, Ronaldo Caporusso, avalia que para esta safra 2020/2021, no caso das variedades precoces, a possibilidade de florescimento é de 70%, levando em consideração dados coletados pela Estação Agroclimatológica da Unesp de Jaboticabal.

Entre as ações necessárias para este período, Caporusso recomenda:

  • Programar com a Socicana o serviço de “Avaliação de Perdas na Colheita, para extrair o maior potencial da lavoura;
  • Fazer a análise da matéria-prima no Laboratório Socicana, o que vai indicar o momento ideal para a retirada da cana;
  • Atentar para o ATR e também pureza da matéria-prima, visando obter o Prêmio por Qualidade;
  • Retirar a cana de forma planejada e manter os aceiros para prevenir incêndios;
  • No caso da cana tombada no carreador, realizar o seu destombamento;
  • Se optar por fazer a aplicação de maturadores, é necessário combinar com a usina o agendamento da colheita.

 

Mais informações, entre em contato com nossa Equipe Técnica: (16) 3251-9275