Receba as novidades do setor

Seu nome

Seu e-mail

Lançamento do +Cana 4.0 supera expectativas

Até 50 produtores poderão fazer parte da nova etapa

O lançamento do +Cana 4.0, que aconteceu no dia 31 de janeiro, no auditório da Socicana, em Guariba (SP), superou as expectativas e mostrou que o produtor está atento aos benefícios tecnológicos promovidos pela união da pesquisa com a prática no campo. O evento contou com a presença do secretário de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, Gustavo Junqueira, do diretor geral do Instituto Agronômico (IAC), Marcos Antônio Machado, representantes da Fatec e Unesp de Jaboticabal, usinas da região, Orplana, CATI, bem como diretores das entidades parceiras, pesquisadores, estudantes, técnicos e produtores.

O secretário de Agricultura, Gustavo Junqueira, parabenizou pela parceria e evidenciou a importância deste trabalho, no sentido de reconhecer o papel do agronegócio como ferramenta de desenvolvimento no Estado e no Brasil. “O programa +Cana vem trazer para o produtor tudo o que a secretaria de Agricultura vem promovendo: tecnologia, valorização e evolução de culturas como a cana-de-açúcar. O que todos nós queremos é diminuição de custos e aumento de produtividade. Os produtores têm ganhado muito com estas tecnologias, fruto de pesquisas”, avaliou.

Produtores que participaram das primeiras edições ressaltam benefícios

Para Renato Trevizoli, da Agrícola Trevizoli, a adoção do sistema tem resultados significativos. “A implantação de viveiros na propriedade nos trouxe uma grande independência para a introdução de variedades novas e a oportunidade de avaliar vários materiais, possibilitando uma escolha mais segura quanto ao produto que será destinado à área comercial. Ter pesquisadores como Landell e Xavier dentro das nossas propriedades, nos orientando, imprime um valor incomensurável ao programa.”

Rodrigo Spina declarou que o Viveiro Spinagro Mudas Pré-Brotadas surgiu graças à participação na terceira onda do +Cana. “Tivemos acesso aos materiais certificados, de alta qualidade, que deram origem ao nosso matrizeiro. Estamos felizes de participar da quarta edição, em que vamos prover mudas de qualidade aos novos participantes.”

“Há quatro anos eu estava no mesmo lugar que vocês, produtores que estão sendo apresentados ao +Cana 4.0. Ouvi tudo sobre o projeto e acreditei que se fosse bem executado seria de muita utilidade. Os profissionais da Socicana, Coplana e IAC executaram tudo com muita competência. Vocês têm a sorte de pegar um programa que nós mesmos testemunhamos que é bem sucedido”, afirmou Rogério Consoni.

“O projeto foi fundamental para os produtores, fazendo com que tivessem acesso a novas variedades, aumentando a produtividade. Faço parte do projeto piloto, a primeira onda. Hoje, 100% das minhas mudas são provenientes do +Cana. Foi um divisor de águas na minha propriedade. Tenho minhas próprias mudas e nem consigo atender à demanda de quem quer comprá-las”, comentou Sérgio Pavani.

Trabalho conjunto

O presidente da Socicana, Bruno Rangel Geraldo Martins, lembrou que o aumento de produtividade é um fator de sucesso para o agrcultor e nada mais efetivo do que a Associação buscar tecnologia para que ele possa atingir o máximo possível do potencial da lavoura. “Seremos sempre parceiros do IAC, junto com a Coplana, porque este tipo de parceria, com a parte produtiva dizendo o que precisa, e a parte governamental investindo em suprir a necessidade do produtor, é um modelo de sucesso”, comentou Bruno.

José Antonio Rossato Junior, presidente da Coplana, declarou que a despeito dos desafios do negócio cana-de-açúcar, o legado construído pelo projeto +Cana contribui para que os produtores enfrentem momentos de adversidade: “trazemos uma oportunidade de difusão de tecnologia, com o suporte de um instituto renomado que é o IAC. O projeto +Cana nos provoca como produtores de cana-de-açúcar no sentido de produzir de forma diferente para alcançar resultados diferentes. Traz inquietude e uma profunda reflexão acerca de como destravar os limites da produtividade agrícola”, resumiu Rossato.

O diretor Geral do IAC, Marcos Antônio Machado, lembrou que a transferência de tecnologia, promovida pelo Centro de Cana/IAC, por meio do +Cana, “tem alto impacto para o produtor e muda o plantio de cana. É uma força que ajuda a transformar o sistema de produção”, afirmou Machado.

+ Cana 4.0 é sinônimo de maior alcance

O diretor do Centro de Cana do IAC, Marcos Landell, lembrou das dúvidas dos produtores antes do lançamento da primeira edição do programa há quatro anos e fez um paralelo com o período atual. “Hoje, os produtores têm o testemunho, a vivência e a experiência de quem já participou do programa e vê, na prática, as suas vantagens. A qualidade da produção, inclusive, tem contribuído para transformar alguns produtores em viveiristas credenciados pelo Ministério de Agricultura Pecuária e Abastecimento (MAPA). Este nível de profissionalização é uma conquista da equipe responsável pelo trabalho e dos agricultores envolvidos.”

O pesquisador do Centro de Cana do IAC, Mauro Xavier, comenta que uma muda pré-brotada é um produto de tecnologia agregada e que a quarta fase do programa complementa as experiências das edições já executadas. “Essas ações têm como hipótese gerar facilidade para o produtor e viabilizar a utilização de MPB em larga escala na realidade da propriedade agrícola. Portanto, gera desdobramentos na logística, reduzindo o custo de produção da MPB e qualificando o processo produtivo”, explica Xavier.

O acesso ao sistema MPB é visto de forma positiva pelo superintendente da Socicana, Rafael Bordonal Kalaki, considerando o suporte ao produtor para desenvolver suas próprias mudas e o acesso a novas variedades. “A produção de MPB pode ser uma ferramenta para pequenos, médios e grandes produtores. Com poucos investimentos, é possível produzir a MPB, montar seu viveiro primário e até comercializar as mudas”, avalia.

Pablo Humberto Silva, gestor do departamento de Tecnologia Agrícola e Inovação da Coplana, destaca que o programa pode mudar completamente os resultados do canavicultor. “Temos pequenos produtores que passaram a contar com um novo segmento de negócio, verticalizando a produção, tornando-se viveiristas licenciados e credenciados, aptos à comercialização de MPB”, afirma. Pablo também listou as novidades da atual edição. “Temos novas cultivares do IAC em destaque, a integração das melhores práticas das edições anteriores e a socialização do modelo, para atendimento a um número maior de produtores”, conclui o gestor.

O programa +Cana

A primeira etapa do programa +Cana foi lançada em 2015, fruto da parceria entre Coplana, Socicana e IAC. Tanto a Cooperativa quanto a Associação, diante da crise do setor e da baixa produtividade dos canaviais, buscaram junto ao Centro de Cana uma solução que trouxesse sustentabilidade para a produção. O +Cana rompe o paradigma de plantio, introduzindo o sistema de Mudas Pré-Brotadas (MPB). “Para sair dos patamares atuais de produtividade e dar saltos quantitativos significativos, temos de ser rápidos na adoção de novas tecnologias. Caminhar em direção aos três dígitos de produção, acima de 100 toneladas/ha, na média de cinco cortes”, apontou Marcos Landell.

 

Fotos: Ewerton Alves / Produção de texto: Renata Massafera – Neomarc